SLIDER

Sobre dar crédito em tempos de likes

8.6.18


Tenho sido um pouco chata no Instagram Stories, mas é por um bom motivo. Há uma semana, fiz uma série de postagens por lá (inclusive,  elas estão salvas no destaque "dicas") sobre a importância de dar créditos aos materiais alheios que a gente encontra por aí. Às vezes, esses materiais chegam até nós de uma maneira picotada, não sabemos exatamente quem é o criador e qual é a fonte original... repostamos e seguimos a nossa rotina. E tudo fica por isso mesmo. Afinal, não estamos cometendo nenhum crime, não é mesmo? Só que a história não é bem assim...

"Se você não quiser que usem a sua imagem, evite postá-la na internet." 

Esta é a desculpa favorita de quem costuma usar materiais alheios de forma errada e fica descontente quando o autor entra em contato reivindicando os créditos, os direitos do uso ou algo do tipo. Essas pessoas acreditam fervorosamente que tudo que está na internet "é de todo mundo" e tudo bem, que depois que algo é postado já não existe mais dono e não há nenhuma lei sobre nada do gênero. Que tudo não passa de mimimi. Mas este é um tipo de pensamento limitado e desinformado. 

"Dar crédito é sempre esperado."

Se você divide com outras pessoas o trabalho de alguém, é seu compromisso dar o crédito para o criador. Pode ser que você considere isso inútil e até pense que ninguém vai dar a menor importância em saber de quem é a tirinha que você acabou de repostar no Instagram Stories ou no Twitter. Mas é assim que demonstramos apreço, cuidado e repeito ao trabalho de alguém - principalmente ao autor. Mas só dar créditos não é necessário, é preciso fazer isso de maneira correta. 

"se você não atribuir corretamente o crédito do trabalho que compartilha, rouba não somente a pessoa que o fez, mas também todas com quem está compartilhando. Sem a devida atribuição, elas não podem entender melhor o trabalho ou encontrar mais trabalhos parecidos." 

Você consegue fazer isso quando expõe o cenário do que está sendo dividido: o que é, quem o fez, quando, onde, para o que, por qual razão está sendo compartilhado, por que é importante e onde elas acharão mais dele.

Linkar o autor é a forma mais respeitosa, útil e significativa que você pode fazer na internet. Escrever apenas o nome dele não terá tanta relevância quanto atribuir um hyperlink que direcione seu leitor até o criador do conteúdo. As pessoas são preguiçosas, elas não terão ânimo para pesquisar mais sobre a fonte. 

"Dar crédito é como colocar plaquinhas de museu ao lado das coisas que compartilha."

Hoje, é muito difícil não encontrar o autor de determinada coisa. O Google é uma ferramenta inteligente de pesquisa. E mesmo não sendo 100% perfeita e não te mostrando a fonte de determinado conteúdo, o melhor a fazer é não compartilhar aquilo que você não sabe quem o fez. É melhor não repostar do que fazer isso do jeito errado e desrespeitoso.

Como dar os créditos de forma correta no Instagram?

Se você está repostando uma imagem que não é sua, a primeira coisa que deve ser escrita na legenda é o crédito do autor. Esta é a informação mais importante que você precisa passar e ela só terá efeito se estiver no topo, nunca no fim do seu texto. Jamais faça apenas uma marcação em cima da foto, quem vê aquilo? Lembra que as pessoas são preguiçosas? Pois é... Quando você escreve um texto e só no fim dele deixa a @ do autor, é como se estivesse maquiando o crédito e contribuindo para ele perder o seu "valor".

Se você não foi autorizado pelo autor, não faça estas coisas:

  • não corte a imagem;
  • não faça interferências;
  • não manipule a imagem usando o Adobe Photoshop ou qualquer outro editor;
  • não desconfigure a imagem da sua versão original;
  • não remova a assinatura do autor ou insira a sua;
  • não use de forma comercial;
  • não estampe em produtos.

O que você pode fazer ao repostar uma criação alheia consiste nisto: compartilhe sem fazer nenhum tipo de alteração. É mais prático, seguro e educado.

E sim, existe uma Lei de direitos autorais em espaços digitais, ela foi criada há poucos anos atrás. Também existem delegacias especializadas em tratar crimes virtuais. Ou seja: o criador é sempre assegurado dos seus direitos autorais. Então, a frase que abre o segundo parágrafo deste post é totalmente equivocada. É necessário trazer assuntos como este para a nossa roda de conversa e evoluirmos as nossas ideias e conceitos sobre o que nos cerca. 

Ninguém nasce sabendo de tudo e isso é okay. 

A desconstrução acontece ao longo da vida e do aprendizado. Eu também não sabia disso tudo até estudar sobre. Eu entendo e compreendo que muitas pessoas usam os materiais alheios de forma errada não por quererem fazer isso de má fé, mas por realmente não terem conhecimento do correto/errado. A gente precisa ensinar, não com grosseira ou arrogância. Precisamos humanizar os nossos círculos virtuais e demonstrar respeito ao trabalho do nosso colega. Assim, criamos uma rede sólida e de valor. ;-)


Ei você, as citações foram retiradas do livro Mostre O Seu Trabalho, do Austin Kleon. 
© Temporada das Flores • Theme by Maira G.