7/11/2016

UM PASSO DE CADA VEZ


Uma hora ou outra, a gente vai precisar tirar todas as roupas do armário e pendurar, uma a uma, no varal. Remover o cheiro de mofo, tomar banho de sol e destruir, sem dó, os terríveis ácaros. Também chegará o dia de lavar os joelhos ralados, estancar o sangue e esperar, pacientemente, que eles sejam cicatrizados. E nessa questão da cicatrização, seja ela demorada ou veloz, é importante lembrar que coçar está totalmente fora de cogitação. Além de abrir porta para bactérias, a ferida volta à exposição, o que retarda a cura.

A poeira acumulada debaixo do tapete, queira ou não, haverá de prejudicar todas as vias e a circulação do ar vital para pulmões sensíveis. Sacudir o tapete lá fora e tratar de manter a casa em harmonia é tarefa que exige fôlego, ô se exige. Coragem é a palavra e deveríamos estampar isso em letras brancas, em bold, naquela camisa preta. Coragem, dona Maria! Coragem, seu João! Coragem.

O que não serve, machuca e causa espirros precisa pedir licença e sair de cena. É um ciclo. Não dá para ter apego com o que nos trava, nos faz estacionar nesta roda-gigante da vida. Planta abafada não floresce. Vai doer perder o que já era corriqueiro e quente? Mas vai e não é pouco, viu?! Paciência. Ou fica como está ou alça voos. 

Nuvens negras existem, é um fato. Também é uma realidade que elas passam. Sempre passam. Olhe para o céu, o que você vê? Tudo está em movimento, inclusive as partículas que habitam em você. Pegue rumo, suba a ladeira, um passo de cada vez. O caminho está à frente dos seus olhos, não olhe para trás. Pretérito é pretérito. Hoje é hoje e o amanhã ainda chegará.

Junte suas forças, feche os olhos, respire fundo e faça uma oração. Eu sei que você consegue. Por favor, mantenha a fé e não cobre tanto de si mesmo. You are human.


Malena Flores

Nenhum comentário

Postar um comentário

© Temporada das Flores
Maira Gall