9/17/2015

TE FRUSTRA A FALTA DE RECONHECIMENTO?


Êxodo 31:1-11. Bezalel e Ooliabe estavam como escravos no Egito e trabalhavam com construções, criando centenas de tijolos. Tiveram a oportunidade de serem artesãos de mais alta qualidade para cumprir a designação de liderar a construção do tabernáculo. Poucas pessoas veriam o impressionante resultado do trabalho deles.

"Eu lhe dei inteligência, competência e habilidade para fazer todo tipo de trabalho artístico; para fazer desenhos e trabalhar em ouro..."

Êxodo 37:7-9. Bezalel fez ainda dois querubins de ouro que ficaram nas pontas de uma tampa que ele mesmo produziu. O apóstolo Paulo os descreveu como "gloriosos". (Hebreus 9:5) O livro de Êxodo nos fornece a informação que essas obras foram feitas de ouro batido ao martelo. Você consegue imaginar tamanha precisão?

Por os querubins ficarem no Santíssimo, eram vistos apenas uma vez ao ano, no Dia da Expiação, pelo sumo sacerdote. Poucos humanos tiveram o privilégio de vê-los. (Hebreus 9:6-7). Se esses objetos fossem encontrados nos dias de hoje, sem sombra de dúvidas, seriam colocados em museus famosos para serem exibidos para milhares de homens.

Talvez, hoje, sintamos um pouco de frustração por produzirmos algo com empenho para que pouquíssimas pessoas possam apreciar. Alguns sentem-se satisfeitos quando são elogiados pelos outros. Como se os elogios fossem uma espécie de escala para julgar o valor do nosso trabalho. Como nos sentiríamos ao colocar-nos no lugar dos dois artesãos (Bezalel e Ooliabe)? Por fazerem a vontade de Jeová e terem a Sua aprovação, eles sentiam-se satisfeitos.

Era bastante comum que os líderes religiosos, dos dias de Jesus, fizessem orações com intenção de impressionar os outros. Porém, Jesus ensinou o oposto: orar sem o desejo de ser elogiado pelas pessoas e com um coração sincero. Pois o Pai que olha em secreto o recompensará. (Mateus 6:5-6) O que Jeová acha de mim e de você importa mais que a opinião de homens. Isso não é aplicado apenas no que diz respeito às orações, mas em tudo o que fizermos. O valor do que fazemos não está no reconhecimento alheio, mas no agradar a Deus, "que olha em secreto".

Êxodo 40:34 nos informa que quando o Tabernáculo ficou pronto, uma "nuvem cobriu a Tenda, e ela ficou cheia da glória de Deus". Isso evidencia claramente a aprovação de Jeová. Não há dúvidas que Belzalel e Ooliabe sentiram-se satisfeitos. Os objetos não levaram a assinatura dos nomes deles, mas o entusiasmo por serem aprovados por Deus e por Ele abençoar seus esforços os enchiam de plena alegria. (Provérbios 10:22)

Mesmo que ninguém veja seus esforços, Jeová vê! Aqueles homens não receberam nenhuma medalha ou troféu pelo que haviam feito, mas Jeová os recompensou com algo mais valioso: Sua aprovação. Ele viu o trabalho e a disposição deles. Que venhamos tomar o exemplo de humildade e entusiasmo desses dois artesãos.

Malena Flores

Nenhum comentário

Postar um comentário

© Temporada das Flores
Maira Gall