4/10/2015

PINGOS DA MESMA CHUVA


Acho fantástico quando há vestígios da chuva na janela da sala, do carro, no varal de roupas, nas folhas e flores... Inúmeras gotinhas que carregam dentro de si um mundo de ponta-cabeça. Você já parou para observar detalhes como esses? Sabia, também, que nem toda chuva que cai atinge a superfície do solo?

Todos nós somos pingos da mesma chuva, talvez, de nuvens diferentes. Somos iguais, temos os mesmos "elementos" e fazemos um bem danado para o mundo ao nosso redor. Podemos fazer uma plantação florescer e até morrer, se não executarmos, sabiamente, nossa função em singularidade e coletividade. Somos gotas que, apesar de aparência frágil, fazemos músicas nos telhados alheios para tranquilizar quem dentro da casa está. Se nos separamos, nem garoa seremos. Se unidas ficarmos, de "chuva" nos chamarão. Juntinhas, somos mais fortes. Nuvem nunca foi fábrica de uma gota só. O Criador aparência a singularidade, mais ainda a junção das partes que transformam-se numa coisa só. Só, não podemos fazer nada. Até para a Terra "girar no ar" é preciso que outros elementos estejam trabalhando em coletividade. 

Apesar da nossa frágil aparência, nossa força motora vem dAquele que está além das nuvens e do Sol.


Nenhum comentário

Postar um comentário

© Temporada das Flores
Maira Gall