4/17/2015

DIAS NUBLADOS


Há dias que, por mais que tentemos, só conseguimos enxergar cores escuras. As lutas são grandes, nuvens carregadas passeiam acima do nosso teto e as ondas ficam pesadas. Assim como acontece conosco, Davi também teve os seus dias de aflição. Já encharcou, várias vezes, o travesseiro que sustentava a sua cabeça nas noites mais cinzas com lágrimas que abriam caminho. 

"Choro dia e noite, e as lágrimas são o meu alimento. Por que estou tão triste? Por que estou tão aflito?" (Salmos 42:3a e 5a)

As estrelas costumam "sumir" nas noites em que tempestades anunciam chegar. O céu fica mais escuro, sem rastros de luz, apenas sombras. Trovões e raios no volume máximo, talvez, em fade. O fato é que, se lá fora encharca as roupas esquecidas no varal, dentro da gente até as dores mais íntimas e profundas são inundadas. E dói, dói devagarinho e isso incomoda.

Aparentemente, nos sentimos sozinhos e ao nosso redor conseguimos ouvir apenas um eco: “Onde está o seu Deus?” (Salmos 42:3) Apesar de O sentirmos distante, Ele está à um passo de nós, à distância de um: "SENHOR, estou aqui." Ao contrário do que muitos questionam e até "afirmam", Ele está sim interessado em nossos problemas e interessado na nossa felicidade. Algumas vezes pensamos que nossa aflição é por uma causa pequena e que outras maiores há por aí. Mas não importa o que nos tira o riso frouxo do rosto, se nos incomoda, inquieta a Ele também. Ele se preocupa com a gente. (Isaías 57:15)

"Por que estou tão triste? Por que estou tão aflito? Eu porei a minha esperança em Deus e ainda O louvarei. Ele é o meu Salvador e o meu Deus." (Salmos 42:11)

A nossa esperança precisa ser como a agulha de uma bússola: apontar sempre para Deus, estar unicamente direcionada a Ele. Na Palavra, encontramos um farol em meio a escuridão da noite e do balanço das andas. É ela o nosso mapa e Cristo é o nosso porto seguro. A previsão é que outras tempestades surjam, mas, quando estamos preparados e equipados, temos mais chances de sairmos ilesos e sem feridas de qualquer situação. Recebemos força "além do normal". (2 Coríntios 4:7) Apenas Cristo consegue pintar de outras cores a escuridão dos nossos dias mais nublados. 

O contraste é notório: NEle há luz e até a desordem fica organizada. Paz, tranquilidade e cores vivas. Perto dEle nos sentimos seguros tranquilos. Ele é o oposto do medo e da inquietação. Ele é a voz que nos embala e nos faz dormir e acordar em segurança, a esperança que amanhã o céu se abrirá dentro da gente que não estaremos sozinhos. Ele é o raio do sol que encontra uma fresta e ilumina o rosto e aquece o coração da gente. E o incrível é que não O vemos, mas Ele é tão real...


Nenhum comentário

Postar um comentário

© Temporada das Flores
Maira Gall