SLIDER

A CORRENTE DO BEM

A CORRENTE DO BEM

30.4.15



Eu tenho uma conta no Facebook, Instagram, Twitter... Talvez você também possua, caso contrário, provavelmente já tenha ouvido falar. Infelizmente nem todos sabem a profundidade de uma rede-social, principalmente quando focamos nos dias em que estamos vivendo. Um perfil diz muito sobre quem somos, posso dizer que ele seja o nosso "cartão de visitas" em uma plataforma mundialmente acessível. Quando eu projetei a arte dos meus cartões pessoais, pensei em cada detalhe, fiz tudo com muito carinho. Imaginei como as pessoas iriam reagir quando o vissem e o sentissem em suas mãos. Eu indagava: "Será que elas iriam gostar e guardar com afeto ou quando chegassem em casa iriam deixar pegando poeira em uma mesa ou prateleira esquecida?" Me sentiria muito decepcionada se a segunda opção acontecesse (apesar de que não sei se já fizeram isso, mas prefiro pensar que não).

Qual é a mensagem e a imagem que as pessoas têm ao visitar o seu perfil? Será a de uma pessoa egoísta que grita por atenção ou de uma alguém que compartilha bons valores e positividade? Sim, eu sei que o perfil é seu e que ninguém tem o direito de opinar nos seus gostos e no que você posta. Somos "plural", cada um tem uma opinião diferente. Sei que muitos não irão concordar comigo, respeito toda singularidade. Mas vem aqui, vamos conversar mais um pouquinho!

Não sei quando começamos a nos "perder" e precisamos, de fato, repensar em certas coisas. Como cristãos, estamos demonstrando a nossa fé através das atitudes ou apenas por palavras? As redes-sociais são ferramentas destinadas para determinadas funções. Ninguém investe tempo criando algo em vão ou sem um foco. Há o lado bom e o lado ruim e é neste ponto que nós entramos. Estamos contribuindo para o avanço de qual direção? Temo a resposta, mas não ficarei cega e muda diante do que tenho visto diariamente.

A nossa vida cristã não deve e nem pode ser como os dos grandes líderes das sinagogas que faziam de tudo para chamar atenção alheia, mas no seu íntimo havia apenas lamaçal e um vazio sem fim. Proclamar da boca para fora o que não vivemos é tolice. Precisamos ver onde estamos errando e reparar esses erros. Sinto que há uma bagunça muito grande que está sufocando muita gente e isso não faz bem para a saúde física, emocional e sobretudo espiritual. 

Estamos construindo altares pessoais e fingindo ser o que na prática não estamos sendo. Estamos vivendo uma vida de engano onde mentimos para nós mesmos. Há um ódio gratuito muito grande por quem nem conhecemos. Diariamente vejo pessoas deixando comentários desprezíveis e insultos em fotos de quem nem conhecem pessoalmente. Sentem prazer em diminuir pessoas das quais sabem-se apenas o que elas permitem informar. Criam uma fantasia em suas cabeças e começam apedrejar - sem razão alguma - uns aos outros. Sentem-se incomodadas se fulana engordou alguns quilos ou se beltrano está postando fotos no mesmo estilo sequencialmente. Fazem piadinhas com assuntos sérios e passam a mão sobre erros gigantescos. Cadê o amor? E o bom senso?

Uma pausa, respiremos bem fundo. Você reflete o que é, afinal, "a boca fala do que está cheio o coração". (Mateus 12:34). Precisamos sacudir a poeira, limpar o que está sujo e repensar no que estamos fazendo. Vivendo tempos difíceis de lidar, não queira ser mais um na multidão dos que não oferecem coisas boas. Seja alguém que prega o que vive e que vive o que prega. Reveja se o seu "cartão de visitas" está agradável e qual mensagem ele está transmitindo. Não queira que alguém o esqueça em qualquer lugar por aí. Deixe boas marcas de valor. Deseje ser lembrado por viver na integridade, ser alguém sábio e, que acima de tudo, não envergonha a Deus quando professa a sua fé. Somos pecadores, eu sei, mas necessitamos buscar a santidade. (Efésios 5:1 e 1 Pedro 1:16) Ofereça, através das suas redes sociais, o melhor que você tem. Cultive boas amizades e não foque muito na popularidade. Toda essa glória é efêmera, tem data de validade. Os bons valores nunca morrem. (Mateus 8:34-38)

Pergunte-se no final do dia: será que transformei, de alguma forma positiva, o dia de alguém? Por mais que seja através de um post curto (um vídeo, música ou versículo compartilhado), alguém pode ser tocado. Você acredita nisso? Faça parte de uma corrente do bem e não de uma corrente em que os elos se desfazem pouco a pouco. Use as ferramentas que você tem em mãos para oferecer coisas úteis. Transmita bons sentimentos para quem está do outro lado da telinha (e super vale na vida real também). O mundo já está cheio de negatividade e tudo aquilo que em nada nos acrescenta. Sejamos sábios.

Todas as coisas dependem da forma que as usamos. O segredo é: árvore boa não dá frutos ruins. (Mateus 7:15-20)


A PURIFICAÇÃO DO OURO

29.4.15


"... E estes que sobrarem Eu farei passar pelo fogo. Eu os purificarei como se purifica a prata e os refinarei como se refina o ouro. Aí eles orarão a Mim, e Eu os atenderei. Direi: ‘Vocês são o Meu povo’, e eles responderão: ‘O SENHOR é o nosso Deus.'" — Zacarias 13:9, Nova Tradução na Linguagem de Hoje.

Você alguma vez já comprou um anel que esperava que fosse de boa qualidade, mas que deixou o seu dedo meio esverdeado? Você pensa: “Isso é de má qualidade. É falsificação.” Por quê? Porque não é ouro puro. Não passou pelo processo de refinamento necessário para remover todas as impurezas do metal. Talvez o anel fosse lindo no estojo, mas tem uma aparência horrível em sua mão, porque agora o seu dedo está verde. Você comprou um anel de má qualidade, cheio de impurezas, sujo. Esse anel poderia ter sido muito bonito, mas o ourives não gastou tempo ou energia para purificar o ouro.

Deus quer que você seja puro – em todos os sentidos. Ele quer que os seus pensamentos sejam puros. Ele quer que você seja puro fisicamente, moralmente, espiritualmente e sexualmente. Ele não quer que você simplesmente tenha uma boa aparência. Ele quer que você seja puro de modo completo. Você chega à conclusão de que não é puro. Qual a solução? Bem, Deus já solucionou o problema. Seu Filho Jesus derramou o Seu sangue, que purifica você de todo o pecado. E mais: Ele dá o Seu Espírito Santo na Palavra, que continuamente faz a purificação. Ele renova o seu coração e a sua mente. Talvez nem sempre o processo seja tão agradável para você, mas Deus não vai deixar você no fogo para que acabe se queimando. Ele vai tirar você do fogo na hora certa e vai terminar o processo.

Quando se coloca um anel no dedo, ele está sendo posto à prova. Se é puro, é muito bonito. Se não é puro, quase tudo o que o anel tocar vai ficar verde. Quando você é purificado pelo SENHOR, você será tão bonito como o ouro puro.

Autor Desconhecido 


DIAS NUBLADOS

DIAS NUBLADOS

17.4.15


Há dias que, por mais que tentemos, só conseguimos enxergar cores escuras. As lutas são grandes, nuvens carregadas passeiam acima do nosso teto e as ondas ficam pesadas. Assim como acontece conosco, Davi também teve os seus dias de aflição. Já encharcou, várias vezes, o travesseiro que sustentava a sua cabeça nas noites mais cinzas com lágrimas que abriam caminho. 

"Choro dia e noite, e as lágrimas são o meu alimento. Por que estou tão triste? Por que estou tão aflito?" (Salmos 42:3a e 5a)

As estrelas costumam "sumir" nas noites em que tempestades anunciam chegar. O céu fica mais escuro, sem rastros de luz, apenas sombras. Trovões e raios no volume máximo, talvez, em fade. O fato é que, se lá fora encharca as roupas esquecidas no varal, dentro da gente até as dores mais íntimas e profundas são inundadas. E dói, dói devagarinho e isso incomoda.

Aparentemente, nos sentimos sozinhos e ao nosso redor conseguimos ouvir apenas um eco: “Onde está o seu Deus?” (Salmos 42:3) Apesar de O sentirmos distante, Ele está à um passo de nós, à distância de um: "SENHOR, estou aqui." Ao contrário do que muitos questionam e até "afirmam", Ele está sim interessado em nossos problemas e interessado na nossa felicidade. Algumas vezes pensamos que nossa aflição é por uma causa pequena e que outras maiores há por aí. Mas não importa o que nos tira o riso frouxo do rosto, se nos incomoda, inquieta a Ele também. Ele se preocupa com a gente. (Isaías 57:15)

"Por que estou tão triste? Por que estou tão aflito? Eu porei a minha esperança em Deus e ainda O louvarei. Ele é o meu Salvador e o meu Deus." (Salmos 42:11)

A nossa esperança precisa ser como a agulha de uma bússola: apontar sempre para Deus, estar unicamente direcionada a Ele. Na Palavra, encontramos um farol em meio a escuridão da noite e do balanço das andas. É ela o nosso mapa e Cristo é o nosso porto seguro. A previsão é que outras tempestades surjam, mas, quando estamos preparados e equipados, temos mais chances de sairmos ilesos e sem feridas de qualquer situação. Recebemos força "além do normal". (2 Coríntios 4:7) Apenas Cristo consegue pintar de outras cores a escuridão dos nossos dias mais nublados. 

O contraste é notório: NEle há luz e até a desordem fica organizada. Paz, tranquilidade e cores vivas. Perto dEle nos sentimos seguros tranquilos. Ele é o oposto do medo e da inquietação. Ele é a voz que nos embala e nos faz dormir e acordar em segurança, a esperança que amanhã o céu se abrirá dentro da gente que não estaremos sozinhos. Ele é o raio do sol que encontra uma fresta e ilumina o rosto e aquece o coração da gente. E o incrível é que não O vemos, mas Ele é tão real...


FRANKIE LEO

FRANKIE LEO

13.4.15



Há alguns meses, tenho pensado em compartilhar aqui minha nova e feliz descoberta musical: Frankie Leo. Um cantor de folk, lá de Montreat, Carolina do Norte. A forma com que este rapaz "faz música" é incrível e bastante aconchegante. Eu poderia ouvir os dois álbuns dele por muito tempo, no modo repeat, sem me preocupar em ficar enjoada.

Moving to Good News é o segundo álbum do Frankie Leo e foi lançado em 07 de Setembro de 2013. Este é projeto bastante intimista, com instrumentos de cordas em evidência e uma proposta mais "calma" que pincela todo o conceito de uma forma incrível. As canções trazem na essência versículos bíblicos "desabrochados", como por exemplo, Lamentações 3:22 que é a base para Feed Upon The Father's Love, faixa 7, que também aborda sobre a anunciação das Boas Novas, Graça e misericórdia. Esta é uma das minhas músicas favoritas, senão todas elas. 
PINGOS DA MESMA CHUVA

PINGOS DA MESMA CHUVA

10.4.15


Acho fantástico quando há vestígios da chuva na janela da sala, do carro, no varal de roupas, nas folhas e flores... Inúmeras gotinhas que carregam dentro de si um mundo de ponta-cabeça. Você já parou para observar detalhes como esses? Sabia, também, que nem toda chuva que cai atinge a superfície do solo?

Todos nós somos pingos da mesma chuva, talvez, de nuvens diferentes. Somos iguais, temos os mesmos "elementos" e fazemos um bem danado para o mundo ao nosso redor. Podemos fazer uma plantação florescer e até morrer, se não executarmos, sabiamente, nossa função em singularidade e coletividade. Somos gotas que, apesar de aparência frágil, fazemos músicas nos telhados alheios para tranquilizar quem dentro da casa está. Se nos separamos, nem garoa seremos. Se unidas ficarmos, de "chuva" nos chamarão. Juntinhas, somos mais fortes. Nuvem nunca foi fábrica de uma gota só. O Criador aparência a singularidade, mais ainda a junção das partes que transformam-se numa coisa só. Só, não podemos fazer nada. Até para a Terra "girar no ar" é preciso que outros elementos estejam trabalhando em coletividade. 

Apesar da nossa frágil aparência, nossa força motora vem dAquele que está além das nuvens e do Sol.


GIRASSÓIS

GIRASSÓIS

8.4.15


"Eu quando for levantado da terra, atrairei todos as Mim." (Jó 12:32)

Certo dia vi numa viagem uma plantação de girassóis a margem da estrada. Foi muito linda a versão daquelas grandes chamativas flores amarelas. Passei pelos girassóis logo pela manhã e observei que todas aquelas flores tinham suas "faces" voltadas para o sol nascente que surgia no horizonte. Tive a impressão de ver uma formação militar de flores, todas perfiladas e olhando para o sol assim como soldados que olham para uma autoridade. Pensei comigo: o que faria com que todas aquelas flores se voltassem para uma mesma direção? Que força de atração misteriosa haveria? Estaria essa força no sol ou naquelas flores? Não obtive respostas, pois estava só e nada entendo de girassóis ou de forças atrativas que atuem neles. 

Meu pensamento voou então para nosso relacionamento com Deus. Quem é filho de Deus sempre volta sua face para Ele. Então surge a mesma pergunta: que força leva a isso? Será que parte dessa força estaria em nós? Que méritos temos em ter nossa atenção voltada para o Sol Nascente que veio para brilhar sobre aqueles que estão vivendo nas trevas e na sombra da morte? 

"Mesmo quando eu andar por um vale de trevas e morte, não temerei perigo algum, pois Tu estás comigo; a Tua vara e o Teu cajado me protegem." (Salmo 23:4)

Neste caso nós temos a resposta, pois afinal não estamos sozinhos: basta ouvir a voz de Deus na Bíblia! Essa força misteriosa que nos leva a olhar para Deus é o amor. Ele afirmou: 

"Com amor eterno Eu te amei; por isso com benignidade te atraí". (Jeremias 31:3) 

Em nós não existe mérito nenhum para essa atração, pois estávamos mortos em nossas transgressões e pecados e Ele nos deu vida. 

"Vocês estavam mortos em suas transgressões e pecados, nos quais costumavam viver, quando seguiam a presente ordem deste mundo e o príncipe do poder do ar, o espírito que agora está atuando nos que vivem na desobediência. Anteriormente, todos nós também vivíamos entre eles, satisfazendo as vontades da nossa carne, seguindo os seus desejos e pensamentos. Como os outros, éramos por natureza merecedores da ira. Todavia, Deus, que é rico em misericórdia, pelo grande amor com que nos amou, deu-nos vida juntamente com Cristo, quando ainda estávamos mortos em transgressões — pela graça vocês são salvos." (Efésios 2:1, 5)

Nada nos capacita a olhar para o Pai —  foi necessário que Cristo removesse com Seu sangue tudo aquilo que nos separava de Deus. A força que nos atrai ao Deus eterno é o amor dEle para conosco. Você sabia disso? Afinal, Deus amou e ama o mundo com tal intensidade que nos deu Seu Filho Único, para que todo o que nEle vier a crer não morra, mas tenha a vida eterna. Deus é amor. (João 3:16)

"Só podemos virar nossa face para Deus porque Ele nos atrai por Seu amor e Sua Graça."

Texto via: Presente Diário
E SÃO FASES

E SÃO FASES

6.4.15


E são fases. Há tempo para cada coisa e cada coisa possui o seu tempo. A Lua não é dona de uma fase só. A gente acaba querendo colocar a carroça à frente dos bois e insiste em querer sair do lugar, a todo custo, de qualquer jeito. Se tem uma coisa pela qual estamos todos presos, essa coisa é o tempo. Não adianta querer que a semente que plantamos ontem dê seus frutos hoje, instantaneamente. Não existe um botãozinho que podemos apertar e ele solucione ou dê um resultado à base do contato imediato. Há um prazo.

Mania que a gente tem em temer o desconhecido e paralisar diante do novo. Somos saudosistas ou tememos, de fato, o que virá? Cadê nossa fé na vida, em Deus e no incompreensível? O estar vivo e presente  hoje é estar disposto a uma constante mudança. Vida é sinônimo de existência, época, fase e idade. Tudo é uma fábrica de novidade. Sustenta isso aí com coisas leves e que te favorecem a caminhar nessa estrada de barro seco. Ria mais, reinvente- se, mantenha-se vivo. Seja como a água que se adapta a qualquer superfície sem perder a essência. Molde-se.

E, nessa estação, meu bem, tem quem siga e tem que fique. Quem permanece sentado na poltrona aguardando a próxima parada, ainda não chegou, tem chão para andar, tem muito o que fazer. Quem permanece, não para ali. É só o findar de uma fase e o iniciar de outra. Se ficarmos com os olhos fixos no trem, ele vai e leva muito da gente e continuaremos estáticos, sem nada para fazer. Temos que aprender a deixar ir o que tem que ir e ficar com o que interessa: força para arregaçar as mangas e ir à luta, de cabeça erguida e coragem no peito. Se for, vá e dê seu melhor. Se ficar, olhos ao alto e firmeza no chão. Bagagem nossa, sem pesos alheios.

Você tem o céu de Abril, Maio e Junho para alçar voo, ser quem quiser ser. A Lua também tem sua trajetória para cumprir e, para ela, não há uma fase só, confortável. Se hoje ela está Nova, semana que vem estará na fase Crescente. Conforme executa sua orbita, sua porção de iluminação evolui. É uma constante transformação. Qual é a sua fase hoje? Seja ela qual for, vai passar, há uma Super Lua na sua órbita. Aposte. Dê tudo de si.

O RESGATE

O RESGATE

2.4.15


Qual é a maior dádiva, ou presente, que você já recebeu? Um presente não precisa ser caro para ser importante. Afinal, o verdadeiro valor de um presente não é necessariamente medido em termos de dinheiro. Se um presente lhe traz felicidade, ou preenche uma real necessidade na sua vida, ele tem grande valor para você.

Dentre os muitos presentes que você poderia imaginar receber existe um que se destaca. É um presente, ou dádiva, de Deus à humanidade. Ele nos deu muitas coisas, mas Sua maior dádiva é o sacrifício de resgate de Seu Filho, Jesus Cristo. (Mateus 20:28) O resgate é o presente mais valioso que você poderia receber, pois pode trazer-lhe felicidade indescritível e preencher suas necessidades mais importantes. O resgate é, de fato, a maior expressão do amor de Jeová por você.

O que é o Resgate? Em termos simples, o resgate é o meio de Jeová livrar, ou salvar, a humanidade do pecado e da morte. (Efésios 1:7) Para entendermos bem esse ensino bíblico, temos de lembrar o que aconteceu lá no jardim do Éden. Só poderemos compreender por que o resgate é um presente tão valioso se entendermos o que Adão perdeu quando pecou.

Ao criar Adão, Jeová lhe deu algo realmente precioso — a vida humana perfeita. Veja o que isso significava para Adão. Com corpo e mente perfeitos, ele jamais iria adoecer, envelhecer ou morrer. Como humano perfeito, tinha uma relação especial com Jeová. A Bíblia diz que Adão era “filho de Deus”. (Lucas 3:38) Portanto, Adão tinha uma relação achegada com Jeová, como a de um filho com um pai amoroso. Jeová se comunicava com esse filho terrestre, dando-lhe gratificantes tarefas de trabalho e informando-o sobre o que se esperava dele. — Gênesis 1:28-30; 2:16, 17.

Adão foi criado “à imagem de Deus”. (Gênesis 1:27) Isso não significa que ele era parecido com Deus na aparência. Jeová é um espírito invisível. (João 4:24) Portanto, Jeová não tem corpo de carne e sangue. Ter sido feito à imagem de Deus significa que Adão foi criado com qualidades semelhantes às de Deus, como o amor, a sabedoria, a justiça e o poder. Adão era semelhante ao Pai em ainda outro sentido importante, ou seja, ele tinha liberdade de escolha. Assim, Adão não era como uma máquina que só pode realizar aquilo para o qual foi projetada ou programada. Em vez disso, Adão podia tomar decisões pessoais, escolher entre o que é certo e o que é errado. Se tivesse escolhido obedecer a Deus, ele teria recebido a vida eterna no Paraíso na Terra.

Portanto, é óbvio que, ao desobedecer a Deus e ser condenado à morte, Adão pagou um preço muito alto. O seu pecado custou-lhe a vida humana perfeita com todas as suas bênçãos. (Gênesis 3:17-19) Infelizmente, Adão perdeu essa vida preciosa não apenas para si, mas também para seus descendentes. A Palavra de Deus diz: “Por intermédio de um só homem [Adão] entrou o pecado no mundo, e a morte por intermédio do pecado, e assim a morte se espalhou a todos os homens, porque todos tinham pecado.” (Romanos 5:12) Assim sendo, todos nós herdamos o pecado de Adão. De modo que a Bíblia diz que ele ‘vendeu’ a si mesmo e a seus descendentes como escravos do pecado e da morte. (Romanos 7:14) Não havia esperança para Adão e Eva, pois eles decidiram voluntariamente desobedecer a Deus. Mas que dizer de seus descendentes, incluindo nós?

Jeová veio em socorro da humanidade por meio do resgate. O que é resgate? A ideia de resgate envolve basicamente duas coisas. Primeiro, é o preço que se paga para efetuar um livramento ou para comprar algo de volta. Pode ser comparado ao preço pago para libertar um prisioneiro de guerra. Segundo, resgate é o preço que cobre, ou paga, o custo de algo. É como um preço que se paga para cobrir os prejuízos causados por um dano. Por exemplo, quem provoca um acidente teria de pagar uma quantia equivalente, ou igual, ao valor do que foi danificado.

Como seria possível cobrir a enorme perda que Adão causou a todos nós e sermos libertados da escravidão ao pecado e à morte? Consideremos o resgate que Jeová providenciou, e o que isso pode significar para você.

Como Jeová providenciou o Resgate? Visto que foi perdida uma vida humana perfeita, nenhuma vida humana imperfeita poderia comprá-la de volta. (Salmo 49:7, 8) Era preciso um resgate que tivesse o mesmo valor daquilo que foi perdido. Isso se harmoniza com o seguinte princípio de justiça perfeita, que se encontra na Palavra de Deus: “Alma por alma.” (Deuteronômio 19:21) Assim, o que cobriria o valor da alma (ou vida) humana perfeita que Adão perdeu? O exigido “resgate correspondente” teria de ser outra vida humana perfeita. — 1 Timóteo 2:6.

"Jeová deu seu Filho unigênito como resgate em nosso favor."

Como Jeová providenciou o resgate? Ele enviou à Terra um de seus filhos espirituais perfeitos. Mas Jeová não enviou simplesmente qualquer criatura espiritual. Enviou Aquele que Lhe era mais precioso, Seu Filho Unigênito. (1 João 4:9, 10) Voluntariamente, esse Filho deixou Sua morada celestial. (Filipenses 2:7) Jeová realizou um milagre ao transferir a vida desse Filho para o útero de Maria. Por meio do Espírito Santo de Deus, Jesus nasceu como humano perfeito, livre da penalidade do pecado. — Lucas 1:35.

Como poderia um único Homem servir de resgate para muitos, na realidade, bilhões de seres humanos? Bem, como foi que os bilhões de seres humanos se tornaram pecadores? Lembre-se: por ter pecado, Adão perdeu a preciosa posse da vida humana perfeita. Assim, ele não podia transmiti-la a seus descendentes. A única coisa que podia transmitir era o pecado e a morte. Jesus, a quem a Bíblia chama de “último Adão”, tinha uma vida humana perfeita e jamais pecou. (1 Coríntios 15:45) Em certo sentido, Jesus ocupou o lugar de Adão com o fim de nos salvar. Por sacrificar Sua vida perfeita, ou abrir mão dela, em obediência impecável a Deus, Jesus pagou o preço do pecado de Adão. Com isso, Ele trouxe esperança para os descendentes de Adão. — Romanos 5:19; 1 Coríntios 15:21, 22.

A Bíblia conta em detalhes o sofrimento de Jesus antes de morrer. Ele foi açoitado sem piedade e sofreu uma morte agonizante pregado cruelmente numa estaca. (João 19:1, 16-18, 30;) Por que foi preciso que Jesus sofresse tanto? Satanás questionou a possibilidade de Jeová ter servos humanos que permanecessem fiéis sob provação. Por ser fiel apesar de grande sofrimento, Jesus deu a melhor resposta possível ao desafio de Satanás. Ele provou que um homem perfeito, com liberdade de escolha, pode manter integridade perfeita a Deus, independentemente do que o Diabo faça. Jeová deve ter se alegrado muito com a fidelidade de Seu amado Filho. — Provérbios 27:11.

Como foi pago o resgate? No 14.° dia do mês judaico de nisã, de 33 EC, Deus permitiu que Seu Filho perfeito e sem pecado fosse executado. Desse modo, Jesus sacrificou Sua vida humana perfeita “uma vez para sempre”. (Hebreus 10:10) No terceiro dia depois da morte de Seu Filho, Jeová O ressuscitou de volta à vida espiritual. No céu, Jesus apresentou a Deus o valor de Sua vida humana perfeita, sacrificada como resgate em troca da descendência de Adão. (Hebreus 9:24) Jeová aceitou o valor do sacrifício de Jesus como o resgate necessário para livrar a humanidade da escravidão ao pecado e à morte. — Romanos 3:23,

O que o Resgate pode significar para você? Apesar de nossa condição pecaminosa, podemos receber bênçãos inestimáveis graças ao resgate. Vejamos alguns benefícios atuais e futuros dessa superlativa dádiva de Deus.

  • O perdão de pecados. Por causa da imperfeição herdada, fazer o que é correto é uma verdadeira luta para nós. Todos nós pecamos, quer em palavra, quer em ação. Mas, por meio do sacrifício de resgate de Jesus, podemos receber “o perdão dos nossos pecados”. (Colossenses 1:13, 14) Para merecer esse perdão, no entanto, temos de mostrar sincero arrependimento. Temos também de rogar humildemente a Jeová, pedindo seu perdão à base de nossa fé no sacrifício de resgate de seu Filho. — 1 João 1:8, 9.
  • Consciência limpa perante Deus. Uma consciência pesada pode facilmente levar à falta de esperança e nos fazer sentir inúteis. Por meio do perdão possibilitado pelo resgate, porém, Jeová bondosamente nos dá condições de adorá-lo com consciência limpa, apesar de nossa imperfeição. (Hebreus 9:13, 14) Isso nos possibilita ter franqueza no falar com Jeová. Assim, podemos nos dirigir livremente a Ele em oração. (Hebreus 4:14-16) Manter uma consciência limpa nos dá paz mental, promove a auto-estima e contribui para a felicidade.
  • A esperança de vida eterna numa Terra paradisíaca. “O salário pago pelo pecado é a morte”, diz Romanos 6:23. O mesmo versículo acrescenta: “Mas o dom [ou dádiva] dado por Deus é a vida eterna por Cristo Jesus, nosso Senhor.” Todas essas bênçãos futuras, incluindo a vida eterna com saúde perfeita, serão possíveis porque Jesus morreu por nós. Para recebê-las, temos de mostrar que prezamos a dádiva do resgate. (Apocalipse 21:3, 4)
Como mostrar gratidão? Por que devemos ser muito gratos a Jeová pelo resgate? Uma dádiva, ou presente, é especialmente valioso quando envolve sacrifício de tempo, esforço ou despesas da parte de quem o dá. Ficamos comovidos quando percebemos que o presente é expressão de genuíno amor por nós. O resgate é a mais preciosa de todas as dádivas, pois providenciá-lo foi para Deus o maior sacrifício que Ele poderia fazer. “Deus amou tanto o mundo, que deu o Seu Filho Unigênito”, diz João 3:16. O resgate é a evidência mais notável do amor de Jeová por nós. É também prova do amor de Jesus, pois Ele deu voluntariamente a Sua vida em nosso favor. (João 15:13) Portanto, a dádiva do resgate deve nos convencer de que Jeová e Seu Filho nos amam como pessoa. — Gálatas 2:20.

Como, então, você pode mostrar gratidão pela dádiva divina do resgate? Em primeiro lugar, aprenda mais a respeito do Grande Dador, Jeová. (João 17:3) O estudo da Bíblia vai ajudá-lo nesse sentido. À medida que seu conhecimento sobre Jeová aumentar, seu amor por Ele se aprofundará. Esse amor, por sua vez, fará com que você deseje agradá-lO. —1 João 5:3.

"Aumentar seu conhecimento sobre Jeová é um modo de você mostrar gratidão pela dádiva divina do resgate."

Exerça fé no sacrifício de resgate de Jesus. O próprio Jesus disse: “Quem exerce fé no Filho tem vida eterna.” (João 3:36) Como podemos exercer fé em Jesus? Essa fé não é demonstrada apenas por palavras. “A fé sem obras está morta”, diz Tiago 2:26. De fato, a fé verdadeira evidencia-se por meio de “obras”, isto é, ações. Uma das maneiras de mostrar que temos fé em Jesus é fazer o melhor possível para imitá-lO, não só em palavras, mas também em ações. —João 13:15.

Assista à celebração anual da Refeição Noturna do Senhor. Na noite de 14 de nisã de 33 EC, Jesus instituiu uma celebração especial que a Bíblia chama de “refeição noturna do Senhor”. (1 Coríntios 11:20; Mateus 26:26-28) Essa celebração é chamada também de Comemoração (ou Memorial) da morte de Cristo. Jesus a instituiu para ajudar Seus apóstolos e todos os cristãos verdadeiros que viessem depois deles a ter em mente que, por meio de Sua morte como humano perfeito, Ele deu Sua alma, ou vida, como resgate. A respeito dessa celebração, Jesus ordenou: “Persisti em fazer isso em memória de Mim.” (Lucas 22:19) A Comemoração nos faz lembrar do grande amor demonstrado tanto por Jeová como por Jesus no caso do resgate. Podemos mostrar gratidão pelo resgate por comparecermos à celebração anual da morte de Jesus.

A provisão do resgate, feita por Jeová, é sem dúvida uma dádiva de valor incalculável. (2 Coríntios 9:14, 15) Essa dádiva inestimável pode beneficiar até mesmo os que já morreram. 

O que a Bíblia ensina?

  • O resgate é o meio de Jeová livrar a humanidade do pecado e da morte. — Efésios 1:7.
  • Jeová providenciou o resgate enviando Seu Filho unigênito à Terra para morrer por nós. — 1 João 4:9, 10.
  • Por meio do resgate, obtemos o perdão de pecados, uma consciência limpa e a esperança de vida eterna. — 1 João 1:8, 9.
  • Mostramos gratidão pelo resgate por aumentar nosso conhecimento sobre Jeová, exercer fé no sacrifício de resgate de Jesus e assistir à Refeição Noturna do Senhor. — João 3:16

    Via: O Que a Bíblia Realmente Ensina
A CEIA DO SENHOR

A CEIA DO SENHOR



A Cidade de Jerusalém esteve agitada durante todo o dia de 14 de Nisã. Era uma quinta-feira. Eram os judeus chegando para as festividades de Páscoa, instituída na Lei de Moisés. Aquela comemoração fazia lembrar para eles o dia em que Deus os havia tirado milagrosamente do Egito. Libertando-os da escravidão imposta pelos faraós durante mais de 400 anos. Enquanto dia, a cidade esteve repleta e agitada, Mas, à noite começou a cair e em meio ao silêncio, o cheiro de carneiro assado tomou conta do ar. Milhares de pessoas estavam preparando-se para este evento, a celebração anual da Páscoa.

Nesta mesma noite (14 de Nisã), um judeu muito especial chamado Jesus e mais 12 seguidores reuniram-se numa sala de sobrado para celebrarem, também, esta mesma Páscoa anual. Depois de terem comido a refeição pascoal, Judas, o traiçoeiro, saiu da sala para trair seu Mestre. Aos onze que ficaram Jesus prosseguiu... E, introduziu neste ritual, a Santa Ceia do Senhor. Conhecida também como a Comemoração ou o Memorial pela Sua morte. João 13:21, 26 e 30.

Este é o único acontecimento que se ordenou que os cristãos comemorassem. Este evento é tão importante devido ao seu significado. Pois, na morte sacrifical de Jesus está nossa esperança de perdão de pecados e perspectiva futura de vida eterna.

“Então Jesus pegou o cálice de vinho, deu graças a Deus e disse: — Peguem isto e repartam entre vocês. Pois eu afirmo a vocês que nunca mais beberei deste vinho até que chegue o Reino de Deus. Depois pegou o pão e deu graças a Deus. Em seguida partiu o pão e o deu aos apóstolos, dizendo: — Isto é o Meu corpo que é entregue em favor de vocês. Façam isto em memória de Mim. Depois do jantar, do mesmo modo deu a eles o cálice de vinho, dizendo: — Este cálice é a nova aliança feita por Deus com o seu povo, aliança que é garantida pelo Meu sangue, derramado em favor de vocês.”Lucas 22:17 a 20 (Nova Tradução na Linguagem de Hoje)

O pão sem fermento (carne) simboliza o corpo de Cristo, sem pecado, em favor da humanidade, de uma vida futura melhor (salvação). O vindo, simbolizando seu sangue derramado em favor de perdão dos pecados de muitos. Por outro lado, este sangue precioso, significava também o novo pacto. Os apóstolos, sendo judeus praticantes da Lei Mosaica, conheciam bem a profecia de Jeremias a respeito deste pacto. – Leia Jeremias 31:31 a 33. As palavras de Jesus indicavam que naquela ocasião, isto é, no momento exato em que se comemorava a Ceia do Senhor, Ele estava inaugurado, por assim dizer, esse Seu novo pacto que substituiria o pacto da Lei que Deus fizera no passado com Israel, por intermédio de Moisés. Ou melhor, o Seu sacrifício verdadeiramente serviria para validar o Novo Pacto, ou seja, a Nova Aliança.

Imagine Deus, O Pai amoroso de Jesus acompanhando o terrível sofrimento do Seu Precioso e Único Filho. Deus viu e ouviu fortes clamores de lágrimas de Jesus no Jardim do Getsêmani. Os açoites e a maneira desumana como foi pregado na cruz. Ainda, a morte agonizante que Ele, Seu Filho, enfrentou.

E Jesus, imagine você, que tremenda carga de aflição e agonia que passou em Sua cabeça durante toda noite daquele Seu último dia como humano. O apóstolo Paulo, referindo-se a tudo isso e ao tipo de morte que submeteu-se, disse que o valor pago pelo resgate custou a Cristo um Alto Preço.
 
E você, que talvez não soubesse que a história foi essa, olhe para dentro de si e comece a meditar... Tudo isso aconteceu há dois mil anos atrás. Aconteceu para demonstrar o amor inigualável de Deus... O amor inconfundível de Jesus... Cumprir as profecias à respeito dEle e o motivo principal pelo qual Ele morreu foi exclusivamente para salvar toda raça humana, ato inclusive você. Pense nisso!
 
Esta comemoração faz-nos lembrar também a maior expressão de amor já feita por nosso Pai Celestial. Jesus, por sua vez, aceitou e ofereceu voluntariamente a Sua vida humana perfeita como sacrifício. Este ato abnegado de Cristo é demonstrado pelo grande amor que teve e tem pelos pecadores. Porque, afinal, Ele nos amou primeiro! Leia João 3:16.

Via: Comunidade Evangélica João 3:16
© Temporada das Flores • Theme by Maira G.