SLIDER

O SAL DA VIDA

O SAL DA VIDA

27.1.15


"O sal da vida. O que faz a vida... Valer a pena!" Esse é o destaque escrito na capa de um best-seller que recebi de presente da Anna Carolina Schermak, uma moça que fala italiano, mora em Curitiba e é minha amiga. O livro foi escrito pela maior antropóloga do mundo: Françoise Héritier. Além desse consagrado posto, ela é professora honorária do Collège de France e etnóloga. Não poderia ser melhor!


"O sal da vida", esse é o título da obra. Citando Laure Adler: "Um delicioso inventário de percepções, sensações, sentimentos discorridos com extrema beleza e sensibilidade que nos motivam, literalmente, a existir... Que maravilha!" Um livro poético, uma lista de "diminutas epifanias" que nos definem, que nos traduzem. 

Nossos dias são tão corridos que mal conseguimos tirar uma férias do mundo, da bolha que nos cerca. Estamos esquecendo das pequenas coisas que nos trazem prazer, momentos de alegria e sentimentos de realizações. Não estou falando da euforia do luxo de se ter um carro na garagem ou na viagem à Disney. Mas ao efêmero, o sal da vida. 

Françoise, em 13 de Agosto, listou: "No entanto, trata-se de coisas seríssimas é demasiado necessárias para conservar o 'gosto', o 'sabor' da vida: refiro-me aos frêmitos íntimos que os pequenos prazeres provocam, às interrogadores e mesmo às recepções, se as deixamos acontecer. [...] O cheiro de croissant quentinho recém saído do forno, trocar piscadelas de cumplicidade, o momento em que tudo fica quieto na natureza..., ouvir a gritaria alegre das crianças no recreio, entupir-se de sorvete de chocolate... Ainda esqueci muitas e muitas coisas."

Há tanto sal nessa vida que o nosso sal não pode perder o sabor. (Mateus 5:13-16) Se nós não construíssemos tantos degraus de pedras em nossos minutos fazendo as coisas mais "bobas" do dia-a-dia, daríamos vais valor ao presente que é viver. Apesar das dificuldades que há aqui e que foi causada, não há razão para pensar que não vale a pena. Você consegue se imaginar não fazendo as coisas que mais gosta? Como por exemplo, talvez você sinta-se sereno admirando um pôr do sol ou as estrelas à noite, comendo o miolo do pão quentinho e lambendo o palito do picolé. Você consegue se imaginar longe de quem te ama? É possível visualizar a sua vida sem Jesus? Tudo o que te faz bem te torna a ser quem és. 


Temos sal em nossa vida, somos sal para outras vidas. Para alguém, somos fresta de luz do telhado, a carta que não diz nada sobre nós, o sal que trás o sabor. Não estamos aqui por caso, há um propósito, algo a mais. Se na singeleza e simplicidade dos pequenos momentos conseguimos absorver o que é bom, quanto mais conseguirão extrair de nós no reflexo do espelho da vida? 

Jesus não nos quer insossos e sem utilidade, Ele deseja que sejamos o toque especial da receita, o segredo do chefe, a especiaria. Há valor nos sentimentos, em nós e nos frutos do nosso trabalho. É um ciclo. Não permita que o calor das lutas o faça desistir de ser quem você é e o que foi chamado para ser. Esforce-se mais um pouquinho, há alguém precisando da sua mão amiga, do seu tempo e desejando do experimentar o mais valioso dos sais da vida: o amor de Jeová Deus através de Jesus Cristo. Ah, esse sal...

O que te dá prazer? Como você pode agir para ser o sal na vida de alguém e, assim, agradar Deus? 

A Anna, o meu muito obrigada, o livro é de um valor absurdo, assim como o seu respirar. A quem desejar mais informações sobre "O sal da vida" basta clicar aqui.

MODELO

MODELO


Leitura bíblica em 2 Timóteo 1:11-14

"Tome como modelo os ensinamentos verdadeiros que eu lhe dei e fique firme na fé e no amor que temos por estarmos unidos com Cristo Jesus." (2 Timóteo 1:13 NTLH)

Quando vamos comprar uma roupa, olhamos na loja diversos modelos, escolhemos aquele que mais nos serve e pagamos o preço para usufruir dele. Caso não gostemos do modelo, ou se não servir, certamente não pagaremos o preço, pois não terá muito proveito, e comprar algo que não nos cai bem não é sábio.

Há outro modelo com cuja escolha adequada precisamos preocupar-nos muito mais: o modelo de vida que seguiremos, ou seja, o que será a base de sustentação da nossa vida, dos nossos princípios e valores; enfim, quem ou o que nos servirá de inspiração.

Para muitos, essa inspiração vem de alguém famoso, seja por seu jeito de ser ou pela forma como se veste; ou ainda por ser alguém do seu círculo social. A verdade é que procuramos modelos para seguir. 

No texto bíblico que você leu hoje, Paulo incentiva Timóteo a seguir o modelo dos ensinamentos verdadeiros (sã doutrina) que ele mesmo havia lhe dado acerca do Evangelho. Paulo era um modelo a ser seguido pois sua vida estava depositada na confiança em Jesus, que não é vazia como outras coisas que somos tentados a imitar. Ele tinha intimidade profunda com Jesus, viu que esta era muito boa para ele, teve certeza de que valia pagar seu preço - o sofrimento - e não se envergonhava se outros o achassem tolo por seguir Jesus. Sabia que este fora o melhor achado de sua vida e não abriria mão dele por nada. Tinha certeza de que nele se manifestava o Poder de Deus, e assim Jesus era a razão de ser da sua vida. Timóteo também deveria adotar esse modelo de viver a verdade de Jesus. E você, qual tem sido seu modelo de vida? Você está pagando por algo que realmente vale a pena e que preencherá o vazio do seu coração? Não siga modelos falsos, que parecem lhe cair bem, mas no fundo não lhe trazem nenhum proveito. Depois sirva você mesmo de modelo de fé e do amor em Jesus.

"O modelo de Jesus sempre nos cai bem - vale a pena pagar seu preço."

Por Ingelid Gundt 
SEMENTES

SEMENTES

14.1.15



Todas as flores, um dia, já experimentaram a feiura, aridez e secura do solo. Elas já foram sementes. Nem sempre o grão é protegido e abrigado em terra adequada. Por vezes, muitos deles são levados por passarinhos, ou outros mamíferos, para lugares distantes e improváveis: entre pedras, espinhos, calor intenso. O solo fértil nem sempre está à fácil acesso. Por qual razão?

Somos soterrados pelas atividades diárias que quase não nos sobra tempo para um momento particular com Jeová Deus. Negligenciamos o agradecer pelo ar que respiramos e pelo pão que repartimos, o sair e o chegar, o levantar e o deitar. Esquecemos dentro da gaveta do armário o que tanto prezamos, ou fingimos prezar: o coração agradecido. Colossenses 3:15.

Em Mateus 13:1-23, Jesus nos conta a Parábola do Semeador e faz uma analogia às Sementes do Evangelho e aos diferentes tipos de corações receptores (solos). Para que a terra abrigue os grãos de forma sadia, é necessário que o semeador faça reajustes: (1) arar o solo, (2) regar a semente diariamente para que o calor intenso não a sufoque, (3) fazer a limpeza do local para que não acumule pedregulhos ou espinhos façam morada... Se há vida, cuidados são essenciais. Haverá ameaças de seres indevidos? Sim, faz parte de todo pedaço de chão. Não constantemente o tempo irá contribuir, dias mais frios que outros irão surgir. O segredo é não dormir.

A nossa vida espiritual também é assim. Estamos, continuamente, vulneráveis ao lado externo da zona de conforto. Porém, o que diferencia o nosso solo para os demais é a nossa vontade própria de protegê-lo e fazer a Semente florescer. Isso não depende do irmão ou de alguma outra liderança, apenas de cada um de nós. Vamos começar aos poucos, um passo de cada vez. Pensando nisso, foram selecionadas oito canções para fazerem parte de um momento particular entre vocês e Deus, são 32 minutos de serenidade em letras poéticas. Talvez queiram escutar antes de dormir, durante o devocional, enquanto dirigem ou caminham, não sei. Boas músicas também são caminhos curtos para elevar a mente em pensamentos agradáveis.

"Que as minhas palavras e os meus pensamentos sejam aceitáveis a Ti, ó SENHOR Deus, minha Rocha e meu defensor!" Salmos 19:14, Nova Tradução na Linguagem de Hoje.




Toda flor já foi semente... Não esqueça desta verdade.

ABELHA FAZENDO MEL

ABELHA FAZENDO MEL

9.1.15



Dia desses, desci até o "famoso" campo que tem no fim da rua da minha mãe. Lá é tão tranquilo e longe do barulho da cidade que consegui ouvir até a sinfonia de vários animais. De tudo o que vi e esperei para ver, as abelhas que estavam se alimentando com o doce néctar e pólen foram a causa do bom tempo que passei ali. Toda aquela contribuição mútua entre flores e pequenos insetos para a polonização me fez refletir em alguns aspectos do projeto da natureza.

Pólens. Algumas plantas que são polinizadas por pequenos mamíferos, insetos e pássaros empregam espinhos, gavinhas e filamentos pegajosos para ganhar de pólen essas plantinhas. Apesar de pequeno, a parte externa do pólen é rígida e resistente a fortes ácidos e ao calor. Com algumas exceções, o pólen é viável durante alguns dias ou semanas, ao passo que os envoltórios mais resistentes conseguem durar até milhões de anos sem se decompor. Muitos cientistas adquirem conhecimentos sobre algumas plantas estudando apenas o pólen retirado de algumas amostras de solos retiradas de profundezas. 

Em uma área com uma variedade muito grande de plantas, o ar torna-se um aperitivo de pólens. Muitas plantas seduzem os pequenos insetos para a polonização do invés de oferecem manjar doce. De fato, toda a complexidade das plantas e abelhas são admiráveis. 

Abelha fazendo mel. Talvez, nunca tenhamos notado os detalhes de toda labuta de uma pequena abelha e valorizado os seus grandiosos esforços. A abelha-europeia constrói com cera as paredes do favo de mel. Você já observou como eles são arquitetados? Há muito tempo atrás, grandes matemáticos afirmaram que a forma hexagonal era melhor que quadrados e triângulos equiláteros, porém, eles não sabiam explicar o motivo desta afirmação. O professor Thimas C. Gales, em 1999, provou matematicamente que hexágonos regulares são as melhores opções para dividir um espaço em partes iguais com a menor quantidade de sustentação estrutural. 

Por fazerem uso de células hexagonais, as abelhas conseguem fazer um bom uso disponível de espaço e produzem paredes firmes e leves de favo de mel com uma quantidade consideravelmente mínima de cera. Por isso, o favo de mel é considerado uma "obra-prima da arquitetura". 

Hoje, cientistas espelham-se no favo de mel para criarem estruturas resistentes e firmes com um aproveitamento de espaço mais considerável. Além disso, a engenharia aeronáutica também usa estruturas em forma de favo de mel para a construção de aviões leves e fortes, gastando uma quantidade menor de combustível. 

"Abelha fazendo mel vale o tempo que não voou..."

Acho que é a primeira vez que ilustro um post com muitas fotos minhas e confesso que estou muito animada e feliz por isso. Não sou nenhuma fotógrafa ou algo do gênero, então, aos profissionais, não me levem muito a sério. :)









"Tudo que move é sagrado e remove as montanhas com todo cuidado, meu amor..." Nos pequenos detalhes encontramos o extraordinário de Deus. Faz sentido acreditar que todas essas coisas são resultado da evolução ou que teve um projeto?

Considere: Gênesis 1:11 e 12; Salmos 19:1; Jeremias 27:5 e João 1:3.


Citações: "Amor de Índio" (Beto Guedes)
A ÂNCORA, O CAPITÃO E O RECOMEÇO

A ÂNCORA, O CAPITÃO E O RECOMEÇO

2.1.15



"Havia uma âncora no fundo do Rio do Passado que mantinha meu coração preso em algo.
Eu havia jogado a âncora no lugar errado, por não esperar a ordem do Capitão.
Mas eu não queria estar ali, enquanto as águas do Presente corriam sob meu barco estagnado.
E então houve choro.
Houve arrependimento.
E esperança.
Eu comecei a me sentir diferente, enquanto a corrente se desprendia da âncora.
Era o Capitão trabalhando ali, e eu sabia disso.
Meu barco estava livre da âncora.
Eu estava livre do passado.
O rumo agora é a Ilha do Futuro.
É lá que existe o tesouro preparado pelo Capitão.
É Ele quem prepara tesouros para os navegantes.
É Ele quem os conduz até Sua recompensa.
E além de recompensador e guiar, Ele é um ótimo Carpinteiro.
Reformar barcos e corações velhos é Sua especialidade!
Meu Capitão? Deus!
Meu barco frágil agora é um navio forte.
No convés há fé, esperança, amor.
O Capitão pensou em tudo!
Icei as velas.
Já posso sentir a brisa do recomeço."

Por Anderson Abreu
Foto: Gabriela Ferreira
VIVENDO DIAS COMUNS

VIVENDO DIAS COMUNS

1.1.15


"E lembrem disto: Eu estou com vocês todos os dias, até o fim dos tempos." Mateus 28:20, Nova Tradução na Linguagem de Hoje

Nem sempre os nossos dias são feitos de eventos e situações empolgantes. A verdade é que grande parte de nosso dia a dia é composto por rotinas, responsabilidades e preocupações comuns à vida humana. É normal que essas coisas ofusquem a alegria e o viço da vida. A Bíblia nos conta histórias fascinantes de homens e mulheres usados por Deus de uma forma sobrenatural para cumprir um propósito, mas essas histórias aconteceram em um determinado momento da vida dessas pessoas. O que será que acontecia nos dias não relatados pela Bíblia? Será que entre as muitas revelações e situações de tirar o fôlego que Paulo viveu não havia a exaustão e a preocupação com seus negócios (fazer tendas)? Será que Davi não tinha dias de tédio e desinteresse em meio as suas funções reais? Somos tentados a achar que a vida de grandes homens e mulheres do passado e do presente eram ou são cheios de vivências arrebatadoras, mas acredito que todos vivem mais tempo em meio a um viver comum do que na adrenalina das grandes aventuras.

Todos os dias podem se tornar especiais se aprendermos a estar contentes e satisfeitos com as coisas comuns, sabendo que Deus está sempre presente. Entre as realizações das grandes promessas de Deus para nós, vem um período longo de conviver com o que é ordinário e trivial, mas nem por isso deixa de ser bom. O extraordinário está em enxergar Deus agindo e interagindo na simplicidade do ser.


Da próxima vez que for à padaria, desfrute da sensação de poder prover para sua família um alimento gostoso que não faltou naquele dia e que vai te proporcionar um momento único ao redor de uma mesa com aqueles que você ama. Isso também é maravilhosamente empolgante.

“O segredo do contentamento é achar graça naquilo que aparentemente não tem graça nenhuma."

Confissão: "Este é o dia que fez O SENHOR; regozijemo-nos, e alegremo-nos nele. Salmos 118:24.

Por Felipe Toller

© Temporada das Flores • Theme by Maira G.