11/25/2014

THE GRAY HAVENS

portrait1-jW3sRnvg
Um duo que narra histórias fictícias, muitas cores e um jeito todo particular de "fazer" músicas. É assim que descrevo The Gray Havens. Dave Radford e Mitch Dane, atualmente em Chicago, "são conhecidos por terem canções que são bastante simples, mas incrivelmente cativantes com melodias magníficas." Confesso que é a primeira vez que encontro músicas tão poéticas cantadas de um jeito diferente: através da narrativa. Estou gostando muito disso, ainda mais por ser pop-folk.

Selecionei duas músicas/vídeos para ilustrar este post, mas recomendo que ouçam todas as faixas dos álbuns do The Gray Havens.

"The Stone", a versão original, mais precisamente, é encantadora. Narra o dia em que Jesus Cristo venceu a morte e ressurgiu. O que era escuridão, tornou-se luz. A maldição foi quebrada, o véu rasgado, a carne tornou-se espírito. O que se passou pelo coração de Maria Madalena quando avistou que a pedra havia sido removida? (João 20:1-18)



Destaco, também, a faixa 3, do álbum Where Eyes Don't Go, "Gray Flowers" Flores Cinzas), é linda. É uma história muito bonitinha de um casal e uma cidade com código de cores (cinza era a única cor não permitida). Todos os dias o rapaz envia flores cinzas para a moça, ela ama e acaba sentindo algo que nunca havia experimentado antes: o amor. A música desenrola-se em contar, de forma alegre, as aventuras e atos corajosos que os jovens tiveram para quebrar os paradigmas impostos por aquela sociedade e ensinar-lhes o verdadeiro sentido do amor e das cores. Nos deixa algumas lições importantes. A versão instrumental é linda, recomendo que ouçam também. 



Vocês poderão encontrar mais faixas e álbuns nas playlists do Spotify ou no Band Camp. Espero que tenham gostado da indicação de hoje, eu adorei. 

Nenhum comentário

Postar um comentário

© Temporada das Flores
Maira Gall