7/30/2014

"TODA COISA QUE RESPIRA"


  Uma prova vívida do poder criativo de Jeová é a abundância de vida animal na Terra. Entre as muitas coisas que louvam a Jeová, alistadas no Salmo 148, o versículo 10 inclui “feras e todos os animais domésticos”. Para mostrar por que o homem deve ter reverência pelo Criador, Jeová falou certa vez a Jó a respeito de animais como o leão, a zebra, o touro selvagem, o beemote (ou hipopótamo) e o leviatã (pelo visto, o crocodilo). Qual era o ponto em questão? Se o homem se admira dessas criaturas fortes, temíveis e indomáveis, como deveria se sentir com relação ao Criador delas? — Jó, capítulos 38-41.
  O Salmo 148:10 menciona também “aves aladas”. Pense na enorme variedade! Jeová falou a Jó da avestruz, que “ri do cavalo e do seu cavaleiro”. (Jó 39:13, 18) De fato, essa ave de 2,5 metros de altura talvez não saiba voar, mas pode correr a 65 quilômetros por hora, com passadas de até uns 4 metros! (Jó 39:13, 18) O albatroz, por sua vez, é um planador nato que passa a maior parte da vida no ar, sobre os oceanos. Essa ave tem uns 3 metros de envergadura e pode planar por horas a fio sem bater as asas. Em contraste, o beija-flor-abelha, de apenas uns 5 centímetros de comprimento, é a menor ave do mundo. Ele pode bater as asas 80 vezes por segundo! Beija-flores, reluzentes como pequeninas gemas aladas, podem pairar no ar como helicópteros e até voar de marcha a ré.
  O Salmo 148:7 diz que até mesmo os “monstros marinhos” louvam a Jeová. Considere o que em geral é considerado o maior animal que já viveu neste planeta, a baleia-azul. Esse “monstro” marinho pode chegar a mais de 30 metros de comprimento. Pode igualar-se ao peso de uma manada de 30 elefantes adultos. Só a sua língua tem o peso de um elefante. O coração é do tamanho de um carro popular. Esse enorme órgão bate apenas 9 vezes por minuto — em contraste com o coração do beija-flor, que pode bater umas 1.200 vezes por minuto. Pelo menos um dos vasos sanguíneos da baleia-azul é tão grande que uma criança poderia se arrastar por dentro dele. Com certeza, nosso coração nos induz a repetir a exortação final do livro dos Salmos: “Toda coisa que respira — louve ela a Jah.” — Salmo 150:6.

APRENDAMOS DO PODER CRIATIVO DE JEOVÁ
  O que nos ensina o uso do poder criativo de Jeová? A diversidade da criação nos assombra. Certo salmista exclamou: “Quantos são os Teus trabalhos, ó Jeová! [...] A terra está cheia das Tuas produções.” (Salmo 104:24) É verdade! Os biólogos já identificaram bem mais de um milhão de espécies de coisas vivas na Terra; mas as opiniões variam quanto a se o total é de 10 milhões, 30 milhões, ou mais. Um artista humano pode achar que às vezes esgota a sua criatividade. Em contraste, a criatividade de Jeová — Seu poder de inventar e criar coisas diversificadas — é obviamente inesgotável.
  O uso que Jeová faz de Seu poder criativo nos ensina algo a respeito de Sua soberania. A própria palavra “Criador” distingue Jeová de qualquer outra coisa no Universo, onde tudo o que existe é “criação”. Até mesmo o Filho Unigênito de Jeová, que serviu como “mestre de obras” durante a criação, jamais é chamado de Criador, ou de Cocriador, na Bíblia. (Provérbios 8:30; Mateus 19:4) Em vez disso, Ele é “o Primogênito de toda a criação”. (Colossenses 1:15) A posição de Jeová como Criador dá a Ele o direito inerente de exercer exclusivo poder soberano sobre todo o Universo. — Romanos 1:20; Revelação (Apocalipse) 4:11.
  Será que Jeová parou de usar Seu poder criativo? Bem, a Bíblia diz que Jeová “passou a repousar no sétimo dia de toda a Sua obra que fizera” nos anteriores seis dias criativos. (Gênesis 2:2) O apóstolo Paulo indicou que a duração desse sétimo “dia” é de milhares de anos, pois ainda estava em curso nos seus dias. (Hebreus 4:3-6) Mas será que “repousar” significa que Jeová parou totalmente de trabalhar? Não, Jeová nunca para de trabalhar. (Salmo 92:4; João 5:17) Portanto, Seu repouso deve simplesmente significar que Ele encerrou Suas obras criativas materiais com relação à Terra. As obras para cumprir os Seus propósitos, porém, têm continuado sem interrupção. Essas obras incluem a inspiração das Escrituras Sagradas e até mesmo “uma nova criação”. — 2 Coríntios 5:17.
  Quando o dia de repouso de Jeová chegar ao fim, Ele poderá classificar de “muito bom” tudo o que fez com relação à Terra, assim como fez no fim de cada um dos seis dias criativos. (Gênesis 1:31) Como Ele vai decidir usar o Seu ilimitado poder criativo depois disso, resta ver. Seja como for, podemos ter certeza de que o uso do poder criativo de Deus continuará a nos fascinar. Por toda a eternidade, aprenderemos mais coisas a respeito de Jeová por meio de Suas criações. (Eclesiastes 3:11) Quanto mais aprendermos sobre Ele, mais profunda será a nossa reverência — e mais nos achegaremos ao nosso Grandioso Criador.


***
Fonte do artigo: Livro Achegue-se a Jeová
Foto por Jana Kvaltinova

Nenhum comentário

Postar um comentário

© Temporada das Flores
Maira Gall