3/10/2014

IMITE A SUA FÉ: JOSÉ {1}


  José colocou outra carga sobre o jumento. Ainda era noite em Belém. Ele olhou em volta enquanto preparava o animal de carga. Com certeza, José estava pensando na viagem que tinha pela frente. Egito! Um novo lugar, uma nova língua e novos costumes. Será que sua família conseguiria se adaptar a tantas mudanças?
  Não foi fácil dar a notícia à sua querida esposa, Maria. Mas José criou coragem e lhe contou o sonho em que um anjo lhe havia transmitido uma mensagem de Deus: o Rei Herodes queria matar o filhinho deles! Eles precisavam sair dali imediatamente. (Leia Mateus 2:13, 14.) Maria ficou muito preocupada. Por que alguém desejaria matar seu filho, tão inocente e indefeso? Maria e José não conseguiam nem imaginar o motivo. Mas confiavam em Jeová, por isso se aprontaram para a viagem.
  Enquanto todos em Belém dormiam sem saber do drama que se desenrolava, José e Maria, com seu filhinho, saíam discretamente da cidade na escuridão da noite. Indo em direção ao sul, com o dia começando a clarear no horizonte, José talvez pensasse no que os aguardava. Como um humilde carpinteiro poderia proteger sua família contra forças tão poderosas? Será que ele sempre conseguiria lhes prover o sustento? Seria capaz de perseverar em cumprir a preciosa responsabilidade que Jeová Deus lhe tinha dado, de criar e proteger essa Criança tão especial? José tinha enormes desafios pela frente. Ao considerar como ele conseguiu vencer todos eles, veremos por que os homens que são pais — e todos nós — precisam imitar a fé de José.

JOSÉ PROTEGEU SUA FAMÍLIA
  Mais de um ano antes, quando ainda morava em Nazaré, José descobriu que sua vida tinha mudado completamente depois que ele ficou noivo da filha de Eli. José sabia que Maria era uma jovem pura e de muita fé. Mas então ele descobriu que ela estava grávida! Ele pretendia se divorciar dela em segredo para poupá-la de um escândalo. No entanto, um Anjo lhe explicou num sonho que Maria estava grávida por meio do Espírito Santo de Jeová. O anjo também disse que seu filho ‘salvaria o povo dos pecados deles’. Além disso, ele tranquilizou José, dizendo: “Não tenhas medo de levar para casa Maria, tua esposa.” — Mateus 1:18-21.
  José, um homem bom e obediente, fez exatamente o que o anjo disse. Ele assumiu a enorme responsabilidade de criar e proteger um filho que, apesar de não ser dele, era muito precioso para Deus. Mais tarde, em obediência a um decreto do Império Romano, José e sua esposa grávida foram a Belém para se registrar. Foi ali que a criança nasceu.
  José não levou sua família de volta para Nazaré. Em vez disso, eles se estabeleceram em Belém, a poucos quilômetros de Jerusalém. Eles eram pobres, mas José fez o máximo para que Maria e Jesus não sofressem nem passassem necessidade. Em pouco tempo, passaram a morar numa casa humilde. Depois, quando Jesus já não era mais um bebê, e sim uma criança com talvez um pouco mais de 1 ano, a vida deles novamente mudou de uma hora para outra.
  Alguns homens foram visitá-los. Eram astrólogos do Oriente, provavelmente da distante Babilônia. Eles haviam seguido uma “estrela” até a casa de José e Maria e procuravam uma criança que se tornaria o rei dos judeus. Os homens foram muito respeitosos.
  Sabendo disso ou não, os astrólogos haviam colocado o pequeno Jesus em grande perigo. A “estrela” que tinham visto os levou primeiro a Jerusalém, não a Belém. Eles contaram ao perverso Rei Herodes que estavam à procura de uma criança que se tornaria o rei dos judeus. Isso despertou o ciúme e a ira dele.
  Felizmente, porém, forças mais poderosas que Herodes e Satanás estavam em ação, como veremos. Quando os visitantes chegaram à casa de Jesus e o viram com sua mãe, deram-lhe presentes sem pedir nada em troca. Deve ter sido muito estranho para José e Maria de repente passar a ter produtos tão valiosos como “ouro, olíbano e mirra”. Os astrólogos pretendiam voltar e contar ao Rei Herodes exatamente onde estava a criança, mas Jeová interferiu. Num sonho, ele os instruiu a voltar por outro caminho. — Leia Mateus 2:1-12.
  Pouco depois de os astrólogos irem embora, um Anjo disse a José: “Levanta-te, toma a criancinha e sua mãe, foge para o Egito e fica ali até eu te avisar; porque Herodes está prestes a procurar a criancinha para destruí-la.” (Mateus 2:13) Como vimos no início deste capítulo, José obedeceu imediatamente. Ele pôs a segurança de seu filho acima de qualquer outra coisa e levou sua família para o Egito. Com aqueles presentes caros que os astrólogos haviam trazido, José agora tinha recursos que poderiam ajudar sua família em sua estadia no Egito.
  Mais tarde, lendas e mitos apócrifos fantasiaram a viagem para o Egito, afirmando que o menino Jesus milagrosamente abreviou a viagem, impediu ladrões de prejudicá-los e até fez com que tamareiras se curvassem para Maria pegar seus frutos. Na verdade, a viagem foi longa e difícil, uma jornada para o desconhecido.
"José sacrificou seu próprio conforto para o bem de sua família."
  Os pais podem aprender muito de José. Ele prontamente abriu mão de seu trabalho e sacrificou seu próprio conforto para proteger sua família. É evidente que ele a encarava como uma herança sagrada de Jeová. Os pais hoje criam os filhos num mundo perigoso, cheio de forças que podem ameaçar, corromper ou até mesmo destruir os jovens. Muitos pais e mães, assim como José, agem com determinação, fazendo de tudo para proteger seus filhos dessas influências prejudiciais. Com certeza, eles merecem muitos elogios.

***

Fonte (do artigo e ilustração): Livro Imite a Sua Fé | Foto: Malena Flores
© Temporada das Flores
Maira Gall