8/08/2013

FORJANDO QUALIDADES

Via We Heart It
Leia: 1 Timóteo 6:1-9

"...Essa gente pensa que a religião é um meio de enriquecer. É claro que a religião é uma fonte de muita riqueza, mas só para a pessoa que se contenta com o que tem." 1 Timóteo 6:5,6
Examine: Mateus 23:5-7, 25-28; Filipenses 4:11-13; Hebreus 13:5

  Paulo alerta o jovem Timóteo de que algumas pessoas usam a religião ou atos de piedade (no original grego) para enriquecer. Como assim? Os atos piedosos são bons, logo têm valor. Então sempre haverá quem compre. Mas nunca deveriam existir os vendedores.
  A preocupação de Paulo? Os cristãos virtuosos às vezes são tentados a desprezar a disciplina que desenvolveu o seu caráter e forjar suas qualidades para se beneficiar. Tal fato pode ocorrer ao perceberem que o seu caráter divino lhes abre portas e traz vantagens sobre os outros menos piedosos (1 Timóteo 6:5).
  O pastor que constrói o seu ministério em oração pode começar a orar mais em público do que particular se perceber que em decorrência disso, a sua igreja e a sua reputação crescem. Um atendente de enfermagem ao ser reconhecido por bem servir pode começar a selecionar os momentos que deseja demonstrar compaixão. E um professor reconhecido por seu conhecimento bíblico pode deixar de se dedicar aos próprios estudos e utilizar-se daquilo que outros já estudaram.
  É nossa natureza falha que nos faz forjar nossas melhores qualidades. Os espertos sempre têm que ter a resposta certa, os simpáticos devem sorrir constantemente, e os líderes devem escolher as batalhas que já sabem que vencerão. Nesse ponto, começamos a nos identificar com a nossa imagem - uma imagem que protegeremos a todo custo (especialmente se formos pagos para fazê-lo).
  Paulo afirma que o caminho à verdadeira riqueza está no contentamento. Diferente daqueles "...que querem ficar ricos" e por isso "...caem em pecado, ao serem tentados, e ficam presos na armadilha de muitos desejos tolos, que fazem mal e levam as pessoas a se afundarem na desgraça e na destruição" (1 Timóteo 6:9), aqueles que são contentes com o que são - e com o que Deus lhes deu - possuem maior riqueza espiritual. Eles continuarão a cultivar os hábitos que valeram sua reputação e recusarão oportunidades lucrativas que, apesar de aparentemente inocentes, sugariam energia demais de sua missão principal na vida. 

Considere: Quais qualidades o ajudaram a atingir o seu emprego atual ou posição social? Quanto do seu serviço a Deus baseia-se em aparência, e não na realidade?

Por Mike Wittmer (O Pão Diário 2013)
(Todos os versículos estão na versão NTLH - Nova Tradução na Linguagem de Hoje)

Nenhum comentário

Postar um comentário

© Temporada das Flores
Maira Gall