2/20/2015

É PRECISO SE CASAR PARA SER FELIZ?


A Bíblia ensina que é preciso se casar para se sentir realizado e feliz? À primeira vista, a Palavra de Deus parece apoiar essa ideia. Como assim?

Segundo o relato de Gênesis, Deus viu que ‘não era bom’ que Adão, o primeiro homem, continuasse sozinho. Assim, Deus criou Eva como “complemento” de Adão. (Gênesis 2:18) “Complemento” significa “aquilo que torna algo completo”. Com base nesse relato, talvez concluamos que uma pessoa não é completa se não for casada. Além disso, vários relatos bíblicos retratam o casamento como fonte de bênçãos e alegria. A história de Rute é um exemplo disso.

No entanto, será que o objetivo desses relatos é nos ensinar que os cristãos não podem se sentir felizes, realizados e completos a não ser que se casem e tenham filhos? Definitivamente, não. O humano mais completo e realizado que já viveu foi Jesus Cristo. Mas ele nunca se casou. E ele era o reflexo perfeito do “Deus feliz”, Jeová. (1 Timóteo 1:11; João 14:9) Jesus, o homem mais sábio que já existiu, mostrou o que é preciso para alguém ser feliz, ou bem-aventurado, neste mundo. (Mateus 5:1-12) E Ele não incluiu o casamento na lista.

Então, será que a Bíblia se contradiz nesse assunto? De modo algum. Precisamos considerar o casamento no contexto do propósito de Jeová. Ele criou o casamento para ser uma fonte de alegria, intimidade e satisfação, mas também já usou essa instituição para ter um papel-chave no cumprimento de certos aspectos de Sua vontade. Por exemplo, o propósito de Deus para Adão e Eva era que ‘fossem fecundos e se tornassem muitos, e enchessem a Terra’. (Gênesis 1:28) Nenhum dos dois poderia cumprir isso sozinho. Pelo contrário, eles precisavam um do outro e se completavam de forma especial.

De modo similar, Jeová usou o casamento e a vida familiar em Israel para cumprir propósitos especiais. Ele queria que a nação se tornasse populosa para não ser subjugada por seus inimigos. Também determinou que da tribo de Judá viria o Messias, aquele que resgataria a humanidade fiel do pecado e da morte. (Gênesis 49:10) Assim, para as mulheres fiéis de Israel, casar e ter filhos era um privilégio especial; não casar e não ter filhos era motivo de vergonha e tristeza.

Que dizer de hoje? Será que o antigo mandamento de Deus de ‘encher a Terra’ obriga os cristãos, neste planeta abarrotado de gente, a se casar e ter filhos? Não. (Mateus 19:10-12) Além disso, Deus não precisa mais garantir a linhagem que levaria ao Messias ou proteger a nação na qual esse Salvador nasceria. Então, como os cristãos devem encarar o casamento e o estado de solteiro?

Na verdade, as duas situações podem ser encaradas como presentes de Deus. Naturalmente, um presente pode ser bom para uma pessoa, mas ruim para outra. O casamento é uma provisão sagrada que proporciona amor e companheirismo, bem como uma base estável para os filhos. Mas a Bíblia é realista; ela diz que quem se casa neste mundo imperfeito enfrenta “tribulação na sua carne”, ou seja, problemas. Por outro lado, Jeová não encara o estado de solteiro como motivo de vergonha ou pesar. Sua Palavra diz que ser solteiro tem algumas vantagens em relação a ser casado. — 1 Coríntios 7:28, 32-35.

Portanto, o conceito da Bíblia sobre o casamento e o estado de solteiro é equilibrado. Jeová, o Originador do casamento e da família, quer que todos os seus servos, casados ou solteiros, se sintam felizes e realizados.

Via: A Sentinela
Foto: Aufzehengehen 

Nenhum comentário

Postar um comentário

© Temporada das Flores
Maira Gall