11/10/2011

Proximidade




O Senhor está perto de todos os que o invocam, de todos os que o invocam com sinceridade. (Sl 145.18)


Matthew Henry é um conhecido escritor de comentários da Bíblia. Certo dia, foi assaltado e, naquela noite, fez a seguinte anotação em seu diário: “Estou agradecido; primeiro, porque nunca fui roubado antes; segundo, porque, apesar de terem levado minha carteira, eles não me tiraram a vida; terceiro, porque fui roubado, não fui eu que roubei”. Interessante a forma que Matthew encontrou para falar a respeito de um problema que estava enfrentando. Ele não esqueceu que apesar de ter passado por um mau momento, tinha muitos motivos para agradecer.
Temos muito mais motivos para agradecer do que para reclamar. O maior motivo de gratidão que temos, com certeza, deve ser o amor de Deus por nós. Deus se aproxima de nós com amor, ele conhece nossas dores. É maravilhoso saber que o Criador, o Rei que preside os dilúvios, se preocupa conosco simples e miseráveis pecadores. Ele é quem nos dá força e nos abençoa com sua paz.
Precisamos lembrar que Deus está próximo de nós e nos tem abençoado. Podemos nos esquecer disso distraídos pelo vazio da decepção, pela dor de algum problema, pela angústia e tristezas que nos cercam.
Deus disse a Moisés: Tenho escutado o clamor do meu povo. Deus faz um caminho de descida até nós. Ele nos diz: Certamente vi tua aflição, ouvi o seu clamor, sei o quanto você está sofrendo (Êx 3.7).
Deus aparece a Moisés numa sarça que, mesmo pegando fogo, não se consumia. Quando Moisés se aproximou da sarça, Deus disse para ele tirar as sandálias porque aquele lugar era santo. Deus estava ali e Moises não poderia aproximar-se daquele lugar de qualquer maneira. Tirar as sandálias era um sinal de santidade e humildade. É muito importante saber que só podemos nos aproximar de Deus se nos humilharmos na sua presença e reconhecermos que precisamos do Senhor.
Quando reconhecemos nossos pecados nos tornamos mais vivos para Deus.
Deus está perto e nos ouve quando clamamos com sinceridade.

Nenhum comentário

Postar um comentário

© Temporada das Flores
Maira Gall