10/22/2011

Vestidinho Branco

Uma pequena menina foi levada pela tia pra igreja e aceitou a Jesus. Chegando em casa ela falou com os pais assim: “ Pai deixa eu ser crente ? ” O Pai e a mãe disseram: ” De jeito nenhum, nós somos seguidores de Maomé.” Ela insistiu tanto que os pais falaram: ” Com uma condição, todo o culto que você for, quando você chegar em casa você vai tomar uma surra” ela falou “Tudo bem!” . Ela ia pro culto chegava em casa uma surra, ia pro culto chegava em casa outra surra. Um dia a tia deu pra ela um vestido branco e ela cantou na frente da igreja sozinha o primeiro solo dela aos 12 anos, ela tinha um aninho de convertida. Quando acabou o culto ela ficou com as coleguinhas, todo mundo feliz. O pai dela veio bêbado pegou a menina e a espancou, diante da igreja, bateu a cabeça dela no meio fio e a machucou muito. Prenderam o pai. Então, a tia e o pastor pegaram a menina e coloram em um banco, tiraram o vestido branco dela enquanto ela ficava perdendo a consciência, perdia a consciência e voltava, então, naquele instante quando voltava à consciência ela falava ”Pastor cadê meu vestidinho?” o Pastor falou “esquece o vestido minha filha, ele ta todo sujo de sangue fica firme aguenta ai que o médico ta chegando” Ai ela apagava, ai ela acordava de novo e falava ” tia.. pastor me da o meu vestido, eu quero o meu vestidinho branco” e eles falavam “esquece o vestido ele ta todo sujo” isso aconteceu cinco vezes na quinta vez que aconteceu isso a menina falou : “Pastor eu estou vendo Jesus ali em pé e ele esta me dizendo que vai me levar agora, por favor, pelo amor de Deus, por tudo o que é mais sagrado, me da o meu vestidinho branco?” o pastor disse ” Porque?” ele foi lá pegou o vestido deu pra ela, ela abraçou o vestidinho só de calcinha e foi fechando os olhinhos pela ultima vez nessa terra e o pastor perguntou ” Mas porque você quer tanto esse vestido?” e as últimas palavras dela foram: ” Eu quero entrar com esse vestidinho sujo de sangue no céu, pra mostrar pra Jesus, que assim como um dia Ele sangrou por mim, eu também sangrei por Ele.”


[onlycrasieness | fonte]

Nenhum comentário

Postar um comentário

© Temporada das Flores
Maira Gall